Crescer em segurança (0-6 Meses)

 

A vida do seu filho é um tesouro que leva nas suas mãos e é sua responsabilidade protegê-lo desde o nascimento. Para isso deverá tomar várias medidas para que ele nunca corra riscos.
Lembre-se de que os acidentes são a principal causa de morte e incapacidade nas crianças em Portugal e que acontecem mais frequentemente em casa.


Transporte no automóvel

Para que as viagens de automóvel sejam seguras, os recém-nascidos e as crianças têm de ser sempre transportados num dispositivo de retenção (“cadeirinha”) homologado e adequado à idade, estatura e peso. O aumento da utilização de “cadeirinhas” tem reduzido o número de mortes e ferimentos em crianças, o que demonstra a sua eficácia e a importância da sua utilização.
- Desde a saída da maternidade, o recém-nascido deve viajar num sistema de retenção voltado para trás. Esta é a posição mais segura para viajar nos primeiros anos, devido ao peso da cabeça e fragilidade do pescoço. Assim, a cabeça, o pescoço e a região dorsal são apoiados uniformemente, pelo que estarão melhor protegidos, em caso de acidente.
- O sistema de retenção deve ser preso ao automóvel, com o cinto de segurança ou através de um sistema Isofix, num lugar sem airbag frontal activo.

Quedas
Os pais tendem a subestimar as capacidades de mobilidade de uma criança. Um recém-nascido, por movimentos reflexos das pernas, se for colocado de bruços na cama, será capaz de apoiar os pés nas dobras duma colcha e, ao esticar repetidamente as pernas, poderá arrastar-se em poucos minutos até à beira da cama e cair.
- Nunca deixe o seu filho, mesmo recém-nascido, nem por alguns segundos, em sítios altos, tais como na cama, sofá ou muda-fraldas. No muda-fraldas, mantenha sempre uma mão a segurar o bebé. Se precisar deslocar-se a outra divisão da casa, levo-o consigo ou coloque-o no chão em local protegido.
- Logo desde o nascimento, a cama do bebé deve ser de grades, com pelo menos 60 cm de altura e no máximo 6 cm entre as grades.
- Coloque sempre devidamente os cintos no carrinho, no “ovinho” (mesmo quando o utiliza para transportar o bebé fora do carro) e na cadeira de alimentação. Quando comprar novos produtos com cintos, escolha aqueles cujos cintos têm 5 pontos de apoio, pois são os mais seguros.

Banho
O afogamento é a segunda causa de morte nas crianças na Europa. O afogamento é silencioso, demora apenas segundos, bastando apenas 2 cm de água na banheira.
- Nunca deixe o seu bebé sozinho na banheira, nem por segundos, mesmo que a quantidade de água seja muito pequena.
- Agarre bem o seu bebé, tendo em atenção que os bebés molhados ficam mais "escorregadios".
- A cabeça do bebé deve estar sempre do lado oposto às torneiras.
- As "cadeiras de banho" para bebés devem ser evitadas porque são instáveis e dão uma falsa sensação de segurança.
- Para prevenir queimaduras, deve sempre colocar primeiro a água fria e depois a água quente, misturar bem e verificar depois a temperatura da água com o cotovelo ou um termómetro.


Sindroma de morte súbita do lactente

O Sindroma de morte súbita do lactente é a morte súbita e inexplicada de um bebé durante o primeiro ano de vida.

- Para o prevenir, os bebés devem dormir sempre de costas! O risco aumenta muito se os bebés dormirem de bruços, sendo que dormir de lado não é tão seguro como de costas. Comprovou-se que, quando deitados de costas, os bebés não bolçam nem aspiram mais o vómito do que se estiverem noutra posição.
- Não deixe ninguém fumar no ambiente que o seu filho respira - quarto, casa, carro ou onde quer que ele permaneça.
- Para além das recomendações acerca das grades referidas anteriormente, a cama não deve ter arestas nem qualquer saliência onde possam ficar presos os botões da roupa do bebé ou qualquer outro adereço.
- O colchão deve ser firme e estar bem ajustado ao tamanho da cama.
- A roupa da cama não deve cobrir a cabeça do bebé. Deite-o com os pés tocando o fundo da cama para que não escorregue para debaixo da roupa da cama.
- Dentro da cama, não devem existir almofadas ou brinquedos.
- Não durma com o bebé na sua cama.
- Vista o bebé de forma a que fique confortável e não demasiado aquecido, pois o risco de Sindroma de morte súbita do lactente pode estar associado ao aquecimento excessivo. Verifique a temperatura colocando o dorso da sua mão na nuca ou na barriga do bebé. A temperatura ideal do quarto deverá estar entre os 18-21ºC.

Queimaduras
As crianças sofrem frequentemente queimaduras nas suas casas. As crianças pequenas estão em maior risco de lesões e morte porque a sua pele é mais frágil, podendo sofrer queimaduras graves mais facilmente. As queimaduras graves são extremamente dolorosas e requerem hospitalizações e tratamentos prolongados. Podem resultar em incapacidade e desfiguração permanente. Pode proteger o seu filho das queimaduras com pequenas alterações na sua casa e sua conduta.
- Tenha em atenção a temperatura da água do banho, como referido acima.
- Evite cozinhar com o bebé ao colo.
- Não coma ou transporte líquidos quentes com crianças ao colo.
- Mantenha os alimentos e líquidos quentes longe da beira dos móveis, pois pode fazê-los cair enquanto circula com o bebé.
- Verifique sempre a temperatura da comida antes de a oferecer ao bebé.
- Se utilizar o micro-ondas para aquecer os alimentos, deve misturar muito bem para tornar a temperatura homogénea. Se aquecer alimentos em recipientes tapados, tenha atenção pois o conteúdo a ferver pode saltar ao destapá-lo.
- Os bebés não devem ser expostos ao sol, particularmente nas horas de maior calor. Quando sair com o seu bebé coloque-lhe um chapéu e protector solar nas zonas expostas.
- Em caso de queimadura deve ser aplicada água fria para diminuir a progressão da queimadura (até dez minutos em água corrente). Nunca deve usar manteiga ou outras gorduras. A pele queimada deve ser protegida com gaze limpa e a criança deve ser levada a um serviço de urgência. As queimaduras causam dores intensas, pelo que deve colocar de imediato um supositório de paracetamol igual ao que usa habitualmente para a febre.

Engasgamento e asfixia
A exploração dos objectos com a boca faz parte do normal desenvolvimento dos bebés; portanto é inevitável que eles coloquem todos os objectos que agarram na boca. Os objectos pequenos e partes pequenas de brinquedos podem causar morte por engasgamento.
- Escolha brinquedos adequados à idade do seu filho e siga as instruções do fabricante. Os brinquedos devem ser leves, laváveis, sem peças pequenas ou arestas.
- Tenha cuidado com os brinquedos dos irmãos mais velhos.
- Deite fora imediatamente os invólucros de plástico; estes não são brinquedos e podem sufocar o bebé.
- Nunca deixe o seu bebé brincar com balões vazios ou rebentados.
- Os objectos e brinquedos devem ter um diâmetro superior a 32 mm e superior a 45 mm se forem esféricos.
- Não deve usar fios/colares, pulseiras ou anéis, pois podem ficar presos com risco de estrangulamento, lesão dos membros ou asfixia.

Fonte: 
Autores: Dra Vera Santos (pediatra); Dra Maria Alfaro (pediatra)
Bibliografia:
- Transporte de crianças em automóvel desde a alta da maternidade – Orientação da Direcção Geral de Saúde: 001/2010 de 16/09/2010
- Gomes D. Prevenção de acidentes na criança e no jovem. Saúde Infantil 2010; 32 (1): 46-48